terça-feira, 16 de maio de 2017

Cutelaria – Parte 1: Tipos de Aço



Graça e paz á todos!

Hoje eu venho escrever á respeito dos três tipos básicos de aço que existem no mercado: o Carbono, o Inox e o Damasco. Para nós, preparadores e sobrevivencialistas é fundamental conhecer cada tipo de aço existente, para assim, podermos planejar as nossas preparações e assim resistir ao “Dia Mal” (crise).

Esse é um artigo da série “Cutelaria”. Se desejar, poderá ler o artigo Introdutório dessa série clicando aqui.

Se você não entende muito de aço e acha que é “tudo igual” esse texto é para você mesmo! :D


Aço Carbono
Desenvolvido em tempos imemoriais, o ferro quando misturado com pelo menos 0,6% de carbono após passar pela têmpera (forja) acaba se tornando esse tipo de aço, que é barato, fácil de trabalhar e também versátil. Infelizmente ele tem um ponto fraco: oxida com certa facilidade, fazendo com que a depreciação (o tempo de vida útil) seja maior em ambientes úmidos (como por exemplo a Amazônia Brasileira). No entanto o aço carbono é mais rígido e resistente do que o aço inox (veja abaixo). Além disso, uma lâmina/pedaço de aço carbono, por conta da dureza, é capaz de ascender fogo a partir da fricção com uma pederneira.
Existem várias classificações (“sub-tipos”) de aço carbono.


Aço Inox
Este tipo de aço é recente na história, pois se o aço carbono surgiu há milhares de anos atrás, seguido do aço damasco, o aço inox (abreviação de “inoxidável”) é praticamente um bebê, tendo o processo de fabricação sido desenvolvido em 1921, há menos de cem anos atrás!
A palavra “inoxidável” significa literalmente: “não sofre oxidação”. O aço carbono, embora barato de se fabricar, resistente e duro, infelizmente sofre com o problema da oxidação que gera ferrugens com relativa facilidade, principalmente em ambientes úmidos (como já destacado no ponto anterior). Assim, o aço inoxidável possui um valor de depreciação muitíssimo menor do que o aço carbono, sendo extremamente resistente as intempéries climáticas mais diversas, principalmente a umidade relativa do ar. No entanto nem tudo são flores: o aço inoxidável é menos duro e resistente do que o aço carbono, pelo simples motivo de que a quantidade total de ferro+carbono é menor, por conta da inserção de aproximadamente 1% de cromo, que é o responsável pelo incrível fator de conservação natural do aço inoxidável. É provado cientificamente que peças de aço inoxidáveis, podem durar até cinquenta (isso mesmo, CINQUENTA!!!) vezes mais do que peças feitas com aço carbono!
Eu não vou entrar em maiores detalhes, mas existem classificações (sub-tipos) de aços inox, assim como em aços carbonos.


Aço Damasco
O chamado “aço damasco” não tem uma origem clara, mas aparentemente surgiu em algum lugar da Ásia (Índia e Síria) e foi adotada pelo então jovem Império Romano que utilizavam o aço damasco nas suas espadas (gladius).

Quando a parte Ocidental do Império caiu (476 d.C), a parte Oriental permaneceu e teve que bater-se com os persas e (a partir de 637 d.C) com os árabes, que em apenas cem anos, tomaram 2/3 das terras habitadas por cristãos. Em algum momento, o processo de formação do dito aço caiu na obscuridade, vindo a ser conhecido novamente durante As Cruzadas (1095-1270), onde ferreiros que viviam em Damasco (Síria) faziam espadas com uma lâmina sem igual para os cruzados europeus.

Após As Cruzadas, a técnica caiu na obscuridade novamente vindo a ser “ressuscitado” em meados do século XX. Desde então, peças de aço damasco tem tomado o mercado de lâminas e na última década (nos países desenvolvidos) tais peças tem se tornado mais acessíveis e populares.

Algumas das melhores lâminas de aço damasco atualmente são feitas pelo cuteleiro Bob Kramer que explica nesse vídeo como funciona o processo de criação de lâminas de aço damasco:




Esse processo (visualizado acima) é também conhecido como “caldeamento”. Caso deseje conhecer um pouco mais á respeito do aço damasco, eis aqui um outro vídeo (mais teórico) feito pelo Gasparello do canal/blog Tocandira:






Conclusão Preparadora
Vamos lá: se onde você vive e/ou mantém a sua B.O.L (“abrigo secundário”) é um local com pouca umidade, eu recomendo peças de aço carbono. Se o seu orçamento é baixo, também recomendo que compre uma peça de aço carbono, independente da umidade relativa do ar.

Caso você tenha um orçamento um pouco melhor, sugiro que adquira uma peça de aço inoxidável, principalmente se você estiver em um ambiente com alta taxa de umidade e/ou a sua B.O.L se encontrar em um local mais afastado da civilização.

Caso deseje saber o que é B.O.L, clique no vídeo abaixo:



O aço inox exige muito pouco cuidado em relação á conservação, podendo não receber manutenção periódica por tempo prolongado, o que aumenta a autonomia e a auto-suficiência do preparador.

Agora, se você deseja um aço com características unificadas dos anteriores e podes pagar uma boa quantia por ela, recomendo uma peça de aço damasco: são extremamente resistentes, duros e exigem muito pouca manutenção ao longo dos anos. Porém o investimento para se obter uma peça feita com esse maravilhoso aço é bastante elevado.

Em suma: compre aquilo que se encaixe nas suas necessidades e ao seu bolso e esteja preparado!

Que Deus abençoe a todos! Até mais!



Referências:

Forja de Facas aço damasco – Bob Kramer, https://www.youtube.com/watch?v=ef98owSwnX0




Nenhum comentário: